sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

FeLiZ NaTaL!!!

A A. e a B. desejam a todos os seus leitores um Natal muito Feliz, cheio de coisas boas e que o sapatinho esteja recheado de livros!!!

domingo, 12 de dezembro de 2010

Se eu ficar - Gayle Forman







Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 216
Editor: Editorial Presença


Sinopse:

Naquela manhã de Fevereiro, quando Mia, uma adolescente de dezassete anos, acorda, as suas preocupações giram à volta de decisões normais para uma rapariga da sua idade. É então que ela e a família resolvem ir dar um passeio de carro depois do pequeno-almoço e, numa questão de segundos, um grave acidente rouba-lhe todas as escolhas. Nas vinte e quatro horas que se seguem, Mia, em estado de coma, relembra a sua vida, pesa o que é verdadeiramente importante e, confrontada com o que faz com que valha mesmo a pena viver, tem de tomar a decisão mais difícil de todas.

A minha opinião:

Mais uma vez um livro da Colecção Noites Claras, da Editorial Presença, me voltou a surpreender e demonstrou que um livro pequeno pode, na realidade, ser um grande livro!

Os livros desta colecção trazem sempre uma grande questão de fundo para se reflectir.
A questão presente neste livro é a seguinte: Imagine que tinha uma vida quase perfeita, apenas com os stresses do dia-a-dia, tinha uma bonita família com a qual vivia em harmonia, tinha um namorado/a, tinha bons amigos, tinha uma paixão pela música que dava sentido à sua vida, tinha 17 anos e um futuro promissor pela frente. Está a imaginar?

Agora imagine que um dia decide ir dar um passeio de carro com a sua família e, de repente, tudo isso desaparece ou parecia vir a desaparecer. E você ficava num ápice sem a sua família mais chegada, sem toda a harmonia que havia na sua vida e é como se lhe fosse dada uma hipótese de escolher se vale a pena lutar e ficar ou se se entrega, desiste de lutar e vai "embora" junto com a sua família.

Este livro conta-nos todo este processo pelo que a protagonista passou enquanto a sua alma passeava pelos corredores do hospital onde se encontrava em coma e, conta-nos também, todos os esforços que os seus familiares e amigos fizeram para, de certo modo, convencê-la a ficar com eles.

Foi um destes esforços realizado pelo namorado em conjunto com a melhor amiga de Mia que mais me emocionou, bem como a visita do seu avô...!

Em suma, este é um livro com alguma emoção e que nos deixa a reflectir sobre as nossas próprias vidas e sobre aquilo a que damos valor.

Aconselho a todos!

sábado, 11 de dezembro de 2010

O Estranho Caso de Benjamin Button - F. Scott Fitzgerald







Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 76
Editor: Editorial Presença


Sinopse:

Na génese deste conto publicado pela primeira vez em 1922 terá estado, segundo F. Scott Fitzgerald, uma observação de Mark Twain em que o escritor lamentava que a melhor parte da vida fosse ao início e a pior no fim. Assim nasceu Benjamin Button, mas, como o leitor poderá começar a adivinhar, para grande desgosto e estupefacção de todos os envolvidos, o «pequeno» Benjamin vem ao mundo com a aparência, o tamanho e as peculiaridades de um homem de 70 anos… O Estranho Caso de Benjamin Button inspirou uma adaptação ao grande ecrã.

A minha opinião:

Se bem me lembro esta foi a primeira vez que li um livro depois de já ter visto o seu filme. Normalmente o processo é ao contrário, gosto sempre de ler primeiro para fazer o meu próprio filme mental, pois se vir o filme em primeiro lugar é muito difícil ao ler a minha imaginação não ir buscar as imagens do filme.

Mas tal não aconteceu neste caso. Pois, a meu ver, livro e filme são muito distintos e, foi-me impossível rever a personagem de Brad Pitt na personagem apresentada no livro. Nunca pensei vir a fazer uma afirmação destas mas, neste caso, acho que posso afirmar que o filme superou em muito o livro!

A minha primeira desilusão com o livro começou logo com o muito reduzido número de páginas (por isso apenas o comprei quando o encontrei numa óptima promoção), o que também indicava logo à partida que a história não iria ser tão pormenorizada quanto a do filme e acho que peca por isso.

No entanto, não quer dizer que não tenha gostado. Gostei, até porque é quase impossível não nos rendermos ao tema tão inusitado desta história.

A ideia que me ficou a pairar na cabeça depois de ler o livro e ver o filme foi a mesma: realmente a melhor parte da nossa vida parece ser o início, a infância, mas, será que gostaríamos mesmo de guardar o melhor para o final? Imagino-me na pele de Benjamin Button, cada vez mais novo, cada vez com mais saúde, enquanto caminhava pela vida e ia vendo todos os seus entes queridos partirem e deixando-o só na suposta melhor parte da sua vida...! Acho que o sofrimento seria muito maior e perderíamos tudo o que de bom a infância tem e que reside muito na inocência e ignorância que temos perante a vida!

domingo, 28 de novembro de 2010

Aquisições de Novembro



Mais quatro livrinhos, duas promoções e duas ofertas. E assim vou sendo feliz! =)

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O Diário de Carrie - Candace Bushnell




Conheça a vida de Carrie Bradshaw antes do Sexo e a Cidade.


Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 394
Editor: Oficina do Livro


Sinopse:

Antes de Nova Iorque. Antes da coluna sobre sexo e amor mais lida da Big Apple. Antes da entrada em cena de Samantha, Charlotte, Miranda e Mr. Big - sem esquecer os cup cakes e os cosmopolitans -, Carrie Bradshaw era uma rapariguinha de uma pequena cidade americana que desejava o melhor para si.
Carrie estava preparada para a vida «a sério», mas primeiro teria de terminar com êxito o secundário. Até aqui, ela e os seus amigos eram inseparáveis, mas, depois do sedutor Sebastian Kydd e da traição de uma amiga, Carrie começa a questionar tudo o que tinha vivido até aquele momento. Decide partir para Nova Iorque e é aí que uma nova vida vai começar...
O Diário de Carrie é a história de uma rapariga de liceu e dos seus amigos de sempre, da sua família e da descoberta de um talento para escrever de uma forma única sobre as relações entre amigos, família, rapazes e raparigas. Dos bancos de escola para a cidade de todos os sonhos e de todos os desejos, a saga da heroína de Sexo e a Cidade. Uma rapariga que sempre soube que um dia iria escrever um livro que mudaria o mundo. Uma personagem que se tornou um ícone de uma geração.


A minha opinião:

Como fã que sou (ou fui) da série "O Sexo e a Cidade" tinha que ler este livro, pois, o livro retrata a vida de Carrie Bradshaw, personagem principal da série enquanto ainda era uma adolescente, descreve as suas peripécias, os seus amores e desamores de então e todo o seu percurso até decidir ir para Nova Iorque, com 18 anos de idade, para perseguir o sonho de ser escritora.

Gostei do livro mas, ficou muito aquém das minhas expectativas. Pareceu-me um livro mais virado para um público adolescente, não sei se pela escrita simples ou se pelo facto de descrever também a vida de uma adolescente, mas, de qualquer forma não encheu as minhas medidas.

No entanto, recomendo a sua leitura às fãs da série que, tal como eu, devem ter curiosidade para saber como tudo começou e, neste livro, poderão ficar pelo menos a saber como é que Carrie foi parar à Big Apple e como ela conheceu a primeira das raparigas do famoso grupo de quatro... :)

domingo, 14 de novembro de 2010

Comer, Orar, Amar - Elizabeth Gilbert




Comer na Itália, Orar na Índia, Amar na Indonésia

Páginas: 373
Edição/reimpressão: 2006
Editor: Bertrand Editora

A minha opinião:

Este livro já estava na minha pilha de livros por ler desde o Verão do ano passado. Este Verão quando soube que iria sair o filme adaptado resolvi lê-lo para depois ver então o filme.

O livro retrata a experiência verídica da autora num ano de viagens para descobrir o seu verdadeiro eu e encontrar a paz e o equilíbrio de que tanto necessitava. Divide-se em três partes, o livro 1 referente à Itália, o livro 2 sobre a Índia e o livro 3 sobre a Indonésia. A autora decidiu fazer estas viagens após ter passado por um processo de divórcio bastante complicado e enquanto lidava com uma profunda depressão.

Durante este ano que ela reservou para si própria, decidiu passar 4 meses em cada um destes países e em cada um explorar uma forma de prazer.

Na Itália, decidiu debruçar-se sobre o prazer de comer e de aprender a falar italiano, uma língua que sempre a fascinou.
Este deve ter sido o livro que mais apetite me deu! A cada descrição de cada belíssimo prato italiano que a autora descobria eu sentia-me a salivar!

Na sua viagem à Índia, a autora buscou o equilíbrio através da oração, da meditação. E, confesso, que também aqui as descrições da autora mexeram comigo, fazendo-me mesmo sentir vontade de experimentar também algumas técnicas de ioga e de meditação.

E, por fim, na Indonésia, para onde parte com a intenção de continuar o seu auto-conhecimento e aperfeiçoamento espiritual, indo atrás de um convite que um curandeiro lhe fez para viver com ele, anos atrás quando lá esteve pela primeira vez, é onde Liz acabará por encontrar o amor...!

No geral achei este livro muito interessante por ser uma história verídica e nos dar a conhecer várias curiosidades sobre cada um destes países (Não fosse eu uma amante de livros que me permitem viajar no sofá!! :D). Gostei principalmente das curiosidades reveladas sobre os costumes e crenças dos habitantes de Bali, na Indonésia, e destas duas em particular:

Sabiam que no Bali, "há apenas quatro nomes que a maioria da população dá aos seus filhos, independentemente do bebé ser rapaz ou rapariga"?! "Os nomes são Wayan, Made, Nyoman e Ketut. Traduzidos, estes nomes significam simplesmente primeiro, segundo, terceiro e quarto, e estão conotados com a ordem do nascimento. Se tiverem um quinto filho, passa a ser conhecido por algo como Wayan segundo."

E, também gostei da ideia por detrás da Meditação dos Quatro Irmãos: "os balineses acreditam que cada um de nós é acompanhado à nascença por quatro irmãos invisíveis, que vêm ao mundo connosco e nos protegem ao longo das nossas vidas. (...) Os irmãos habitam as quatro virtudes que uma pessoa precisa para ter uma vida segura e feliz: a inteligência, a amizade, a força e (adoro esta) a poesia. Os irmãos podem ser invocados em qualquer situação crítica para prestarem assistência. Quando morremos, os quatro espíritos nossos irmãos vêm buscar a nossa alma e levam-na para o céu." Eu, sendo filha única, adorei esta ideia de ter por aí quatro irmãos a olhar por mim! :)

A principio temi que o livro se assemelhasse demasiado a uma espécie de livro de auto-ajuda, por se tratar do relato de viagens que a autora realizou não tanto com o intuito de descobrir esses destinos, mas mais para ir à descoberta de si mesma. No entanto, posso garantir-vos que o livro está longe desse registo, pois, a descrição das actividades e dos momentos por que a protagonista vai passando, interligados com todos as curiosidades que nos dá a conhecer e a explicação de todos os métodos de meditação que foi experimentando ocupam a grande parte deste livro.

Enfim, acho que o livro está bem construído e proporciona uma leitura agradável. O único pormenor que acho que poderia ter sido melhorado é a parte do romance, que acho que poderia ter sido mais aprofundada. De resto, aconselho a todos os que gostam de livros sobre viagens e a todos os que, como eu, não gostam de ver o filme sem antes ter lido o livro.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

A Rapariga que Roubava Livros - Markus Zusak







Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 463
Editor: Editorial Presença
Sinopse


A minha opinião:

Esta é a história de uma menina chamada Liesel. Uma menina que viveu em plena Alemanha Nazi. Uma menina que ganhou uma paixão por livros, pelas palavras e pelo poder das palavras, ao encontrar o seu primeiro livro caído no chão coberto de neve do cemitério onde tinha acabado de ver enterrar o seu irmão. Uma menina que encontrou a Morte três vezes. Uma menina que conseguiu despertar o interesse da Morte e que fez com que fosse a própria Morte a querer contar-nos a sua história. E, "Quando a morte nos conta uma história temos todo o interesse em escutá-la."

Mas, também poderia dizer que esta é a história da vida da Morte em plena Alemanha Nazi e em plena 2ª Guerra Mundial. A história das vidas inocentes que ela carregou nos seus braços, das pessoas que ela viu chorar os seus entes queridos, de todos os cenários de horror por onde ela foi passando, das cores que o céu apresentava em cada momento e do cansaço que ela sentia.

Ou então, poderia ainda dizer que esta é a história da vida de várias pessoas únicas encurraladas numa luta que não era a delas. É a história da família Hubermann que acolheu Liesel mesmo estando na miséria; da família Steiner, em especial de Rudy, o miúdo alemão que sonhava ser Jesse Owens, o atleta americano negro; de Max, o judeu nascido na Alemanha, que refugiado na cave da família Hubermann escreveu um livro para Liesel em cima das páginas arrancadas do livro escrito por Hitler; de Tommy, outro dos inocentes que vivia na rua Himmel; de Ilsa Hermann, a mulher do Presidente da Câmara e sua biblioteca; de Frau Hotzafel e seus dois filhos; etc.

O detalhe que nestas descrições sempre se repete é o cenário, o contexto: um país - Alemanha, um idealismo - Nazismo, um líder - Adolf Hitler, um período no tempo - a Alemanha em plena 2ª Guerra Mundial. E este é o ambiente que se vive e se respira na leitura deste livro. Senti a angústia de cada inocente e a vontade de fazer algo contra as injustiças como se estivesse lá a vivenciar cada momento junto das personagens, tal como também sorri com as pequenas alegrias e as pequenas vitórias de cada um.

Gostaria também de realçar que dos livros que tenho lido sobre a Alemanha Nazi, este foi o único que para além de nos narrar as injustiças cometidas sobre todos os judeus perseguidos por Hitler, mostra-nos também o lado dos alemães inocentes, que viviam entre a espada e a parede, prestando vassalagem e dando as suas vidas pelo seu Fuhrer.
Adorei todas as personagens mas, posso afirmar que jamais esquecerei: Hans Hubermann, o seu acordeão e o pão que deu àquele judeu moribundo; Rudy e o beijo por que tanto ansiava (e o que eu chorei quando ele por fim o recebeu, infelizmente sem o já poder sentir!); Max e o seu "A Sacudidora de Palavras"; e claro, Liesel, a rapariga que roubava livros e que os amava como ninguém!

Sobre a relação de Liesel com as palavras também muito haveria a dizer... amou-as mesmo antes de saber ler e chegou a odiá-las quando percebeu que era através das palavras que Hitler envenenava, de várias formas, toda uma nação.

"Arrancou uma página do livro e rasgou-a ao meio. (...)
Em breve havia apenas farrapos de palavras espalhados entre as suas pernas e a toda a sua volta. As palavras. Por que haviam elas de existir? Sem elas não haveria nada disto. Sem palavras o Fuhrer não era nada."

Este livro fez-me recordar um dos meus filmes preferidos o "A Vida é Bela" e tal como o filme, também o livro é de uma beleza arrasadora.

Muito mais haveria a dizer mas, é-me impossível transmitir-vos tudo o que gostaria, só posso dizer que aconselho vivamente esta leitura e espero que a saibam apreciar tanto como eu!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Os novos habitantes da minha estante!


Ou então, outro título possível para este post seria: "Não resisto a promoções!" lool


Todos estes livrinhos faziam parte da minha lista de desejos e todos eles foram adquiridos em algum tipo de promoção ou passatempo! =D Adoro!!


São estes os novos e felizes habitantes da minha estante cada vez mais recheada:

Chocolate de Joanne Harris
Os Homens que Odeiam as Mulheres de Stieg Larsson
A Escriba de Antonio Garrido
O Jogo do Anjo de Carlos Ruiz Zafón
O Alquimista e A Feiticeira de Michael Scott
Um Dia de David Nicholls
Jardim de Alfazema de Jude Deveraux
A Sul da Fronteira A Oeste do Sol de Haruki Murakami

E então, gostaram das minhas novas aquisições? Já leram alguns?

domingo, 7 de novembro de 2010

Ficarei à tua espera - Michael Baron




Edição/Reimpressão:2010
Páginas:296
Editora:Quinta Essência






Sinopse: Por vezes, o que nos ultrapassa é precisamente aquilo de que necessitamos.
Uns meses antes, Gerry Rubato tinha tudo o que julgava precisar da vida. Continuava apaixonado pela namorada dos tempos da faculdade, com quem casara há quase vinte anos; tinha uma filha inteligente e de espírito autónomo e a novidade de um novo filho a caminho. Foi então que tudo mudou drasticamente. Sem grandes explicações, a filha fugiu com o namorado, mais velho que ela; a seguir, um mês após o nascimento do filho, a mulher morreu de repente. Agora, Gerry precisa de ser tudo para o filho recém-nascido, enquanto se debate com duas perdas que mal compreende. E quando uma mulher entra na sua vida como amiga e o seu relacionamento se inclina para algo mais, Gerry tem de redefinir tudo o que sabe sobre si próprio, o amor, a lealdade e os seus sonhos. Carregado de ternura, humor, sabedoria e personagens inesquecíveis, Ficarei à tua Espera é um romance que lhe vai arrebatar o coração.

A minha opinião: Este livro proporcionou-me óptimos momentos de leitura!
"Ficarei à tua espera" traz-nos a história de Gerry um homem que de repente fica sem a sua mulher e (temporariamente) sem a sua filha, mas com um bebé nos braços, a quem terá de criar sozinho...

Sozinho, ou talvez não, porque a vida tanto traz surpresas más, como boas... Inesperadamente Gerry encontra um novo amor, mais cedo do que podia imaginar...
No entanto, o protagonista vai-se debater com a algumas dúvidas: será que consegue preservar a memória da falecida mulher, e ao mesmo tempo amar outra pessoa? Será que vai recuperar o amor de Tania e trazê-la de volta para casa? Onde foi que a relação entre pai e filha começou a deteriorar-se?

São estas reflexões que vamos acompanhando ao longo do livro, assim como toda a relação entre pai e recém nascido, o nascer de um novo amor...etc

Gostei muito da história em si, foi interessante acompanhar esta perspectiva - mais emocional e profunda - da relação entre pai e filhos, uma vez que geralmente os livros abordam mais a relação entre mãe e filhos...

Gostei muito das personagens, de todas elas...e do diário que Gerry escreve à filha, onde expõe os seus sentimentos de uma forma muito sincera, e onde lhe transmite importantes lições para vida...

Como já repararam este livro é essencialmente sobre o amor...

Leiam, de certeza que vão gostar!

Opiniões em atraso...

Mais uma vez venho apresentar-vos as minhas desculpas por a minha presença neste cantinho andar tão escassa... muita coisa tem acontecido e a disposição e/ou tempo para escrever as opiniões nem sempre é a maior, no entanto a vontade de ler tem permanecido e por isso já tenho em atraso nada menos que 8 opiniões de leituras!! =S

As opiniões de leitura que estão em atraso são as seguintes:

Irresístivel Tentação de Jill Mansell
A Luz de Um Novo Dia de Torey Hayden
O Diário de Carrie de Candace Bushnell
Alguém para Amar de Jude Deveraux
Amante de Sonho de Serrilyn Kenyon
Comer, Orar, Amar de Elizabeth Gilbert
A Rapariga que Roubava Livros de Markus Zusak
Se eu Ficar de Gayle Forman

Durante esta semana vou tentar publicar algumas delas, embora já não o vá fazer por ordem de leitura, mas sim conforme a inspiração. Mas, antes disso ainda vou publicar um post para vos dar a conhecer as minhas novas aquisições! :)

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O rapaz que prendeu o vento





Edição/Reimpressão:2010
Páginas:304
Editora:Editorial Presença





Sinopse:William Kamkwamba nasceu no Malawi, onde vivia na mais absoluta pobreza e, aos 13 anos, teve de abandonar a escola por falta de meios. Mas isso não refreou o seu optimismo nem a sua vontade de aprender e, graças a uma biblioteca escolar, continuou a acompanhar as matérias escolares. Um dia descobriu um livro que mudaria por completo a sua vida e que explicava o funcionamento dos moinhos de vento. Utilizando materiais improvisados, muitas vezes recolhidos em sucatas, William conseguiu montar dois moinhos de vento e, assim, fornecer energia eléctrica e água à sua pequena comunidade. O seu feito tornou-se notícia em todo o mundo e é contado neste livro cativante, que retrata os problemas que afligem o continente africano e sugere que as melhores soluções não partem necessariamente da ajuda dos países ricos.

A minha opinião: Gostei, gostei muito. Esta é a história verdadeira de um rapaz que teve um sonho e, que com muito querer, estudo e trabalho conseguiu torná-lo realidade. Contra todas as adversidades - a pobreza, a fome e o abandono forçado da escola - William conseguiu alimentar a sua curiosidade, e fazer valer a sua inteligência e criatividade.

Este livro é também um retrato do Malawi, um país africano marcado pela pobreza. Através dos relatos do autor, ficamos a conhecer o modo de vida dos seus habitantes, os seus hábitos, tradições, crenças e valores...

"O rapaz que prendeu o vento" é um relato impressionante sobre a fome, a miséria, mas também sobre a persistência, o trabalho e a esperança!

Uma verdadeira lição de vida, que muitas pessoas deviam conhecer. Recomendo vivamente!

Deixo-vos com algumas citações...

"Embora Geofrfey, Gilbert e eu fôssemos criados numa pequena aldeia de África, fazíamos as mesmas coisas que as crianças em todo o mundo, apenas com materiais um pouco diferentes. (...) As crianças, por toda a parte, descobrem maneiras semelhantes de se entreterem, se o olharmos assim, o mundo nem sequer é muito grande." Pág. 29

"Algumas pessoas iam perdendo carne até parecerem esqueletos andantes. (...) Os famintos falavam pouco ao passar. Mesmo que continuassem à procura de qualquer coisa que lhes enchesse os estômagos, era como se já estivessem mortos." Pág. 146

"- Dia após dia, por força da sua vontade, os africanos aproveitam o pouco que têm. Dominam os desafios colocados a África com criatividade. Onde o mundo vê lixo, África vê reciclagem. Onde o mundo vê ferro-velho, a África vê renascimento." Pág. 281

"- Não percas a coragem nem desistas só por ser difícil (...) Seja o que for que desejes fazer, se o desejares de todo o coração, acabará por acontecer." Pág.289

sábado, 2 de outubro de 2010

Calafrio - Sandra Brown








Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 398
Editor: Quinta Essência


Sinopse: Cleary, uma pacata cidade da Carolina do Norte, foi abalada pelo desaparecimento de cinco mulheres em dois anos e meio. Não há corpos, pistas ou suspeitos, apenas uma misteriosa fita azul abandonada no local onde cada mulher foi vista pela última vez…
Lilly Martin regressa a Cleary para concluir a venda da sua cabana de montanha e pôr um ponto final ao casamento com Dutch Burton, o chefe da polícia local. Depois de fechar as portas ao seu passado, não imaginava voltar atrás tão cedo. Mas, ao deixar a casa, sob um temporal, Lilly perde o controlo do carro e atropela um homem que emergia inesperadamente do bosque. Trata-se de Ben Tierney, que ela conhecera no Verão passado. Os dois são então forçados a regressar à cabana para esperarem pelo fim da terrível tempestade de neve.
Incontactáveis, com poucos víveres e quase sem aquecimento, Lilly e Ben vão aproximar-se um do outro, ao mesmo tempo que cresce a atracção e o desejo entre ambos. Mas, à medida que o isolamento se prolonga e os dois se envolvem, Lilly receia que a maior ameaça não seja o temporal, mas sim o homem ao seu lado...
Quem será o misterioso Ben Tierney: o raptor ou o homem capaz de salvar Lilly da tragédia que a assombra?

A minha opinião:Este livro proporcionou-me momentos de leitura verdadeiramente empolgantes! Calafrio é um romance policial fantástico que nos prende logo nas primeiras páginas.

O livro puxa pela nossa imaginação e perspicácia, durante o decorrer da acção somos levados a avaliar a personalidade, as atitudes e os comportamentos de cada uma das personagens de modo a descobrirmos a identidade do assassino, o que torna a leitura quase compulsiva!

Sandra Brown elaborou uma história bastante credível, repleta de suspense, mistério e aventura, com um enredo rico em suspeitos e situações inesperadas, onde nem tudo o que parece é...

Adorei, recomendo vivamente!

domingo, 26 de setembro de 2010

Jardim de Alfazema - Jude Devereux








Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 354
Editor: Quinta Essência



Sinopse: Jocelyne Minton é uma mulher dividida entre dois mundos. A mãe estudou em colégios particulares e frequentava as melhores salas de chá, mas acabou por casar com o biscateiro local. Joce tinha apenas cinco anos quando a mãe morreu e, quando o pai volta a casar, a criança sente-se mais só do que nunca - até que conhece Edilean Harcourt que, apesar de já não ser uma jovem, compreende Joce melhor que ninguém. Quando Miss Edi morre, deixa à amiga todos os seus bens, incluindo uma histórica mansão do século XVIII e uma carta com pistas para a jovem decifrar um mistério que remonta a 1941. Na carta, Miss Edi também revela que encontrou o homem perfeito para Joce, um jovem advogado. Joce fica chocada ao saber que a mansão e o futuro amor da sua vida se encontram em Edilean, de que nunca ouvira falar. Curiosa perante esta reviravolta do destino, Joce muda-se para a pequena cidade , decidida a dar um novo rumo à sua vida. Em Edilean, todos conhecem a história da jovem e já delinearam o seu futuro, incluindo o homem com quem se deverá casar. Acontece, porém, que Joce tem as suas próprias ideias acerca do homem que terá de conquistar o seu coração e o que fazer aos segredos que ninguém quer ver divulgados. Mas, quando estes lhe revelam parte da sua história, o certo é que a vida parece ganhar uma nova cor…


A minha opinião: Este livro conta-nos a história de uma cidade encantada, que parece ter ficado perdida no tempo, e dos seus habitantes, todos eles especiais, cada um à sua maneira.

As personagens principais são duas mulheres fortes e encantadoras, no presente acompanhamos a vida de Joce, recém chegada a Edilean e com muitos mistérios por resolver, e ao passado, voltamos muitas vezes, para acompanhar as aventuras de Miss Edi em tempos de guerra, e assim tentar perceber alguns desses mistérios.

"Jardim de Alfazema" é uma história ternurenta, muito divertida, recheada de mistérios e enredos familiares que depressa prendem a atenção do leitor.

Gostei, uma história leve e descontraída que me proporcionou bons momentos de leitura.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

1º Aniversário!!!


Pois é, o tempo passa depressa e o "Leituras de A a B" está hoje de Parabéns pelo seu primeiro aninho! =) Inicialmente criámos este blog com o objectivo de partilhar as nossas leituras, e o mesmo mantêm-se.... O nosso muito obrigada, a todos aqueles que por aqui passam, obrigada pelos simpáticos comentários e pelas sugestões, que nos estimulam a continuar esta partilha, em jeito de celebração por esta paixão que nos une a todos: os livros!


domingo, 19 de setembro de 2010

A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata - Mary Ann Shaffer e Annie Barrows








Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 448
Editor: Assírio & Alvim


Sinopse: Londres, 1946. Depois do sucesso estrondoso do seu primeiro livro, a jovem escritora Juliet Ashton procura duas coisas: um assunto para o seu novo livro, e, embora não o admita abertamente, um homem com quem partilhar a vida e o amor pelos livros. É com surpresa que um dia Juliet recebe uma carta de um senhor chamado Dawsey Adams, residente na ilha britânica de Guernsey, a comunicar que tem um livro que outrora pertenceu a Juliet. Curiosa por natureza, Juliet começa a corresponder-se com vários habitantes da ilha. É assim que descobre que Guernsey foi ocupada pelas tropas alemãs durante a segunda Guerra Mundial, e que as pessoas com quem agora se corresponde formavam um clube secreto a que davam o nome de Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata. O que nasceu como um mero álibi para encobrir um inocente jantar de porco assado transformou-se num refúgio semanal, pleno de emoção e sentido, no meio de uma guerra absurda e cruel.


A minha opinião: Este livro é um verdadeiro tesouro...repleto de personagens cativantes e uma história apaixonante!

Todo o livro está escrito sob a forma de cartas e telegramas trocados entre as várias personagens. É fantástico como as autoras conseguiram dar sentido a toda a história (escrita desta forma) com um leque tão vasto de personagens e acontecimentos!

Este livro consegue ser ao mesmo tempo um retrato nu e cru da 2ª Guerra Mundial - com o relato de acontecimentos impressionantes e condenáveis - e um hino á vida e ao amor - o amor entre as pessoas e o amor pelos livros - conseguindo assim, ser ao mesmo tempo tocante, divertido, emocionante...inesquecível.

Em suma, "A sociedade literária da tarte de casca de batata" é um livro muito rico, escrito de uma forma dinâmica, perspicaz, inteligente e envolvente!

Tenho pena que este seja o primeiro e último livro de Mary Ann Shaffer, uma vez que a autora já faleceu, mas fico feliz por saber que realizou o seu sonho!

Na minha opinião este livro é quase obrigatório para todos os amantes dos livros, acho quase impossível alguém ler e não gostar!
Leiam e façam também parte deste fantástica "Sociedade literária da tarte de casca de batata"! =)

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Descalças - Elin Hilderbrand






Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 320
Editor: Contraponto



Sinopse:Três mulheres – carregadas com crianças e alguns problemas emocionais óbvios – chegam ao aeroporto de Nantucket numa quente tarde de Verão. Vicki, mãe de dois rapazes, está a tentar aceitar a notícia de que tem uma doença grave; a irmã, Brenda, foi despedida do seu prestigiado emprego de professora universitária por manter uma relação íntima com um estudante; e a amiga de ambas, Melanie, após sete tentativas falhadas de fertilização in vitro, está finalmente grávida – depois de descobrir que o marido tem um caso.
Com o intuito de sarar as suas feridas, apanhando sol e sentindo a areia nos pés, «fugiram» para Nantucket sem saber que encontrariam Josh, um desconhecido que mudará as suas vidas.Será que a adorável casa de férias, que pertence à família há gerações, vai ser suficientemente grande para o turbilhão de emoções que a invade?Descalças une estas quatro vidas numa história irresistível.


A minha opinião: Este livro conta-nos a história de quatro personagens verdadeiramente encantadoras, inesquecíveis! Os seus traços psicológicos, as suas personalidades estão tão bem definidas que é como se elas ganhassem vida...Vicki, Brenda, Melanie e Josh poderiam ser qualquer pessoa que nós conhecemos...

Gostei da força da Vicki ao enfrentar a doença, da sua vontade de viver; gostei da maturidade e bondade de Josh; gostei da coragem de Brenda ao envolver-se com que não podia (mas, afinal O coração quer o que o coração quer) e da sua capacidade de acreditar nos seus sonhos aparentemente impossíveis de realizar; gostei da preserverança de Melanie.

Quanto à história é cativante, quando damos por isso já estamos completamente envolvidos, querendo saber o desenrolar dos acontecimentos e acompanhar a vida destas personagens. Amor, amizade, traição, fatalidade são alguns dos ingredientes que compõem esta história.

Devo dizer que a sinopse engana um pouco, dá-nos a entender que esta é uma história leve e divertida, mas o que encontramos é muito mais do que isso. É uma história por vezes divertida, mas não muito leve, com momentos até bastante "pesados" que focam a doença de Vicki... Quanto a mim, este livro encerra em si uma verdadeira lição de vida, mostra-nos aquilo a que realmente devemos dar importância...

Uma palavra ainda para a capa que está lindíssima, e para o título que adorei, não sei se foi essa a intenção da autora, mas para mim, é como que uma analogia com a própria vida, porque afinal, nesta vida, andamos todos "descalços", pois o que hoje é verdade, amanhã pode ser mentira, o que hoje temos, amanhã podemos perder, nada é definitivo...

Recomendo vivamente!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Desculpa, mas vou chamar-te amor - Federico Moccia





Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 552
Editor: Edições Contraponto





Sinopse: Niki é uma rapariga linda, extrovertida, inteligente, simpática e alegre. Tem dezassete anos, e tanto ela como as suas amigas estão no último ano do secundário. O seu dia-a-dia é pautado por desfiles, festas e raves, entre outros divertimentos.
Alex é um «rapaz» com quase trinta e sete anos e acabou há pouco tempo uma relação de longa data. Tem três grandes amigos, Enrico, Flávio e Pietro, que são casados. Alex ocupa um cargo importante na área da publicidade, mas um jovem oportunista contratado recentemente pela sua empresa põe em risco o seu emprego.
Certa manhã, Niki e Alex têm um encontro, ou melhor, um desencontro – um desencontro que vai mudar tudo.
Esta linda história de amor reflecte a vontade de reencontrar a liberdade e o desejo de nutrir sentimentos verdadeiros, de amar sem regras nem porquês. Retrata o quotidiano, mas também o sonho, a fuga mais bela, mais louca, mais inesperada: uma fuga de amor.

A minha opinião: Este livro conta-nos a história de amor entre Niki, uma adolescente de 17 anos e Alex um homem de 37 anos...assim como as histórias dos amigos de ambos. Conhecemos então uma série de personagens que facilmente nos conquistam pela forma humana com que são descritas. Gostei especialmente de Niki, pela forma como encara a vida, com optimismo, alegria e energia!

Uma vez mais fiquei rendida à escrita de Federico Moccia, intensa, fluída, por vezes poética...cativante!

Quanto à história em si, adorei! Uma história de amor com as doses certas de diversão, realismo e romantismo. Através da história de amor de Niki e Alex o autor retrata o encontro desses dois mundos, o adolescente e o adulto. À medida que a acção se desenrola vamos conhecendo os contornos desta história de amor, as reacções das pessoas que estão à sua volta, as diferenças que os separam mas que ao mesmo tempo os unem.

A acção desenrola-se em Roma, cidade que o autor descreve tão bem que é como se de facto estivéssemos lá.

Para finalizar, dizer ainda que gostei muito da forma como todos os enredos se encaixaram e como todos os pequenos mistérios da vida quotidiana das personagens se revelaram, pelo menos para o leitor.

Desculpa, mas vou chamar-te amor, fala-nos assim de amor, da amizade...da vida.

domingo, 15 de agosto de 2010

Últimas Aquisições da A.

Mesmo quando a leitura está quase parada a estante não pára de encher...

... estas são as minhas mais recentes aquisições para a minha humilde biblioteca:

A Escrava de Córdova de Alberto S. Santos

Sexo, Intrigas e Glamour de Lauren Weisberger

O Diário de Carrie de Candace Brushnell

Anjos e Demónios de Dan Brown

e

Alguns livritos da Biblioteca de Verão do JN/DN

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

O Beijo dos Elfos - Aprilynne Pike








Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 256
Editor: Edições Contraponto

Sinopse:

Nesta extraordinária história de magia, intriga e romance perigoso, tudo o que pensavas conhecer sobre o mundo das fadas vai mudar.

Excerto:

«Laurel estava hipnotizada a olhar para as coisas pálidas com olhos grandes. Eram terrivelmente belas, demasiado belas para exprimi-lo com palavras. Laurel olhou no espelho outra vez, pousando os seus olhos nas pétalas que pairavam ao lado da sua cabeça. Pareciam quase asas. »

A minha opinião:

Não sei bem o que dizer sobre esta leitura. É daqueles livros que "não me aquece nem me arrefece", ou seja, não adorei mas também não detestei.

É realmente um livro mais direccionado para adolescentes. Com uma leitura fácil, com uma história sem muito enredo e muito nessa nova onda do fantástico e dos 1001 mundos imagináveis.

Neste caso trata-se do mundo das fadas e dos elfos mas, se pensam que são as fadas que tipicamente associamos/vemos estão muito enganados!
Estas fadas/elfos são plantas! Isso mesmo, plantas, mas com forma humana e no lugar de asas têm uma flôr e em vez de voar têm outros poderes que a meu ver são bastante mais úteis!

Lá para o final a leitura ganha alguma acção, envolvendo trols e uma floresta encantada e é nesta fase que a escritora consegue prender-nos à história.

Em suma, é um livro que nos proporciona uma leitura agradável e fluída e com uma história ideal para os amantes do fantástico.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Três Verões - Julia Glass








Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 464
Editor: Civilização Editora

Sinopse:Neste romance cativante, Julia Glass descreve a vida e os amores da família McLeod durante três Verões cruciais, ao longo de uma década. Depois da morte da mulher, Paul McLeod, patriarca de uma família escocesa, e proprietário e editor reformado de um jornal, participa numa viagem guiada à Grécia. A sua partida da casa familiar, na Escócia, e aquele gesto tardio de libertação, abrem caminho à vida de Fenno, o filho mais velho. Fenno protege os seus sentimentos colocando-se em quarentena emocional durante toda a sua vida como jovem gay, em Manhattan. Quando regressa a casa para o funeral do pai, este isolamento emocional não pode ser mantido e ele é confrontado com uma escolha que o põe no centro da família e do seu futuro.Três Verões é um romance sobre o modo como vivemos e sobre como os laços familiares - os que nós fazemos e os que já nascem connosco - podem oferecer redenção e alegria.

A minha opinião: "Muito bem conseguido...rico, cativante e cheio de vida."THE NEW YORKER eu não descreveria melhor este livro!
"Três Verões" conta-nos a história da família Macleod e das várias personagens com as quais os seus membros se vão cruzando, ao longo dos Verões de 1989, 1995 e 1999.

Confesso que no início tive alguma dificuldade em "mergulhar" nesta leitura devido ás constantes viagens no tempo entre o presente e o passado das personagens. No entanto, quando dei por mim estava completamente envolvida pela forma de escrever de Julia Glass, deveras cativante...quando nos apercebemos já estamos presos à história querendo "beber" cada palavra sua e acompanhar cada momento da vida das personagens.

Apesar de grande parte da história ser contada num tom algo nostálgico e melancólico, e apesar de se focar muito na morte, este livro está repleto de situações cheias de vida!

"Três Verões" não é um livro para se ler rapidamente, é um livro para se ler devagar, para se saborear...

Um livro diferente dos que estou habituada a ler, foi sem dúvida uma agradável surpresa, recomendo sem reservas! Leiam e deixem-se conquistar...

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Os Vários Sabores da Vida - Anthony Capella



Edição/Reimpressão: 2010

Páginas: 464

Editora: Edições Asa





Sinopse: Londres, 1896. Robert Wallis, um boémio aspirante a poeta, aceita a proposta de um enigmático mercador de café para compor um “vocabulário de cafés” que capte os seus variados e ricos sabores. Inebriado pelos seus arrebatadores aromas, e pela ainda mais arrebatadora presença de Emily, a filha do mercador, Robert apaixona-se perdidamente. O mundo de Emily é igualmente abalado por esta proximidade: a pouco e pouco, também ela descobre que não é possível despertar alguns sentidos sem desafiar outros.

A contragosto, Robert parte para África em busca da origem do melhor café do mundo. O exotismo do continente africano apanha-o de surpresa. De deslumbramento em deslumbramento, Robert será apresentado à cerimónia tradicional abissínia do café pela mão de Fikre, a escrava de um homem poderoso. E quando Fikre se atreve a dar-lhe às escondidas um grão de café muito especial, tudo o que Wallis julgava saber – sobre café, amor e ele próprio – começa a ser questionado…

Uma arrebatadora e sensual história de amor que atravessa duas décadas e três continentes...


A minha opinião: Fantástico, envolvente e inesquecível são talvez os adjectivos que quanto a mim, melhor caracterizam este livro...


É através das várias personagens (principalmente Wallis, Emily e Pinker) que o autor nos apresenta os vários temas que compõem este livro.

Com Wallis somos literalmente levados a percorrer as ruas da cidade de Londres em finais do séc.XIX , a conhecer os seus restaurantes, bordéis, a conhecer as gentes que a habitam, a sentir os vários aromas que pairam no ar...

É ainda Wallis que nos abre as portas para o Continente Africano. Com as suas descrições quase observamos o por-de-sol, quase sentimos a areia do deserto debaixo dos nossos pés... Conhecemos o mundo da escravatura, entramos na selva e descobrimos a "sua lei", observamos a invasão feita pelos europeus, assistimos à destruição de florestas, conhecemos os costumes e as tradições das tribos nativas, assistimos ao choque de culturas, à opressão que o povo nativo sofreu, à sua necessidade de sobrevivência, o desejo de liberdade...


Com Emily ficamos a conhecer como era a condição feminina naquela época, uma época em que a mulher devia viver unicamente para a família, não ter sonhos ou desejos e ser submissa ao marido. Emily dá-nos a conhecer a luta da mulher pelo seu direito ao voto, representa a força, a coragem e a perseverança das primeiras mulheres que integraram o movimento sufragista.


Com Pinker conhecemos os meandros que envolviam o comércio do café naquela época..


Café, café, café, este está presente em todos os capítulos...


Gostei muito da história em si, das personagens, da capacidade de descrição de Anthony Capella, da notória pesquisa bibliográfica que efectuou...adorei a parte histórica do livro, adorei tudo! Um livro muitíssimo interessante, que recomendo vivamente!

sábado, 3 de julho de 2010

A Promessa - Brunonia Barry








Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 376
Editor: Porto Editora

Sinopse:

Espantoso. Enfeitiçante. Inesquecível.Towner Whitney, uma mulher enigmática e fascinante, descende de uma família de mulheres de Salem que têm a capacidade de ler o futuro nos padrões da renda típica da cidade.Após uma vida de traumas e tragédias que a leva a exilar-se na Califórnia, Towner regressa à sua cidade natal, em busca da tia-avó, Eva, desaparecida misteriosamente.Towner vê-se, assim, obrigada a enfrentar os medos do seu passado e a verdade das tragédias na sua família.A Promessa é uma narrativa hipnotizante que desvela um mundo de segredos, identidades perdidas, mentiras e meias-verdades, onde a realidade e a ficção se unem inexoravelmente.

A minha opinião:

Esta crítica estava difícil de sair, devido à falta de tempo mas principalmente pela desilusão que o livro se mostrou. Depois de o ter tanto tempo na minha lista de desejos esperava bem melhor.

Logo ao inicio fiquei pasmada com esta entrada: "Chamo-me Towner Whitney. Não, não é propriamente verdade. O meu verdadeiro nome próprio é Sophya. Nunca acreditem em mim. Minto a toda a hora. Sou uma louca... Esta última parte é verdade.", pensei: Mas que é isto?! Deste começo não pode sair nada de muito bom! =S

Depois a história tem um enredo enfadonho, com pouca acção e a pouca que tem parece-me bastante confusa, muito devido às tais mentiras. Em certas partes lembro-me que cheguei a pensar porque é que isto ou aquilo era relevante para a história!

Quanto à parte relacionada com a magia (a parte que me levou a ler este livro e da qual vi muito pouco) revelou-se, a meu ver, muito fraca.

A desilusão final foi chegar ao fim da leitura e não perceber o sentido do título!! :( Mas porque é que o livro se chama "A Promessa"?! Qual promessa? Será que me escapou algo? Alguém que tenha lido o livro que me explique por favor.

Mas enfim, nem tudo foi mau* neste livro, a parte final foi, para mim, a salvação do livro. Quando se desvendam todos os mistérios e mentiras senti-me como se me tivessem tirado uma venda dos olhos e finalmente pudesse ver claramente. Desta parte gostei sim! Outro ponto a favor são sem dúvida as referências a Salem e toda a sua história.

* "Mau" será forma de expressão, pois na minha opinião não há realmente livros maus, mas sim, talvez, leituras adequadas a cada leitor e aos vários momentos da sua vida.
Eu já vi críticas muito boas e positivas em relação a este livro, por isso acredito que talvez as minhas expectativas sobre ele e o momento em que o li talvez interferissem na apreciação desta leitura.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

José Saramago 1922 - 2010

Não me Peçam Razões...


"Não me peçam razões, que não as tenho,
Ou darei quantas queiram: bem sabemos
Que razões são palavras, todas nascem
Da mansa hipocrisia que aprendemos.


Não me peçam razões por que se entenda
A força de maré que me enche o peito,
Este estar mal no mundo e nesta lei:
Não fiz a lei e o mundo não aceito.


Não me peçam razões, ou que as desculpe,
Deste modo de amar e destruir:
Quando a noite é de mais é que amanhece
A cor de primavera que há-de vir".



José Saramago, in "Os Poemas Possíveis"


Perdeu-se hoje um dos melhores escritores de Portugal e do Mundo.
A nossa singela homenagem ao génio José Saramago.

domingo, 13 de junho de 2010

O amor está no ar - Dorothy Koomson






Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 336
Editor: Porto Editora



Sinopse:

Deixe-se levar pela magia do amor...

Depois de sair de Londres para seguir o seu desejo de mudar de vida, Ceri D'Altroy jura abandonar definitivamente as suas manias de casamenteira. Isto porque parece que a sua simples presença acaba por incentivar as pessoas que encontra pelo caminho a mudar de vida.No seu novo emprego, conhece Ed que decidiu declarar o seu amor por uma mulher que o enlouquece; Mel e Claudine, dois amigos de longa data que resolvem iniciar um romance ilícito; e Gwen, a chefe de departamento que é uma fumadora compulsiva e esconde um segredo profundo e sombrio que só quer partilhar com a sua nova funcionária.Quem entra em contacto com Ceri, nunca mais volta a ser o mesmo.Será ela o Cupido dos tempos modernos?

A minha opinião: Foi com alguma relutância, mas principalmente muita expectativa que dei inicio a esta leitura. Relutância porque as opiniões que tinham lido e ouvido acerca deste livro não eram as mais favoráveis, e expectativa porque há muito que queria ler algo desta autora.
Terminada a leitura, posso dizer que adorei este livro!

Em "O amor está no ar" Dorothy Koomson dá-nos a conhecer a história de Ceri, e através dela, mais uma série de personagens que depressa nos prendem a atenção.
Ceri é uma mulher que seguindo o desejo do seu coração, deixa para trás toda uma vida em Londres, e parte rumo a Leeds para leccionar Psicologia, e também para mudar toda a sua vida.
É que Ceri não é uma pessoa comum, tem o dom (ou será a maldição?) de levar as pessoas que estão á sua volta a contarem-lhe toda a sua vida, os seus problemas, segredos e a fazerem aquilo que o seu coração mais deseja. Cansada de "viver" a vida dos outros Ceri procura um novo começo.
No entanto as coisas não acontecem como havia planeado, e a história volta-se a repetir...
É então através dos desabafos que as vários personagens lhe fazem que vamos conhecendo Ceri, bem como todas elas.

Um livro que se foca sobretudo nas relações humanas, nos sonhos e desejos, e nesse sentimento mágico que é o amor!
"O amor está no ar" apresenta-se assim como uma comédia romântica, recheada de personagens muito interessantes...

Na parte final do livro (no episódio da mudança de Gwen) a autora, dá-nos ainda tempo para reflectir um pouco acerca da forma como erradamente julgamos os outros apenas pela aparência, sem conhecermos a sua história.

Gostei muito da forma de escrever de Dorothy Koomson, simples e cativante!

Resumindo, uma leitura fácil, leve e muito divertida. Recomendo vivamente!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Á primeira vista - Nicholas Sparks









Edição/reimpressão: 2006
Páginas: 256
Editor: Editorial Presença


Sinopse: Jeremy Marsh tem convicções profundas sobre aquilo que não pretende que lhe aconteça: nunca deixar a cidade de Nova Iorque, nunca se entregar a um grande amor depois de ter vivido um casamento falhado, e, acima de tudo nunca ter filhos. Mas o destino parecia não estar de acordo com os seus planos e neste momento Jeremy vive numa pequena cidade da Carolina do Norte, casou-se com Lexie Darnell e aguarda o nascimento da sua primeira filha. Um estado de graça apenas ensombrado pela recepção de estranhas mensagens sobre a verdadeira identidade da sua esposa. Será ela aquilo que parece à primeira vista?


A minha opinião:

À primeira vista conta-nos a história de Lexie e Jeremy desde o seu noivado, passando pelo seu casamento, até ao nascimento do seu primeiro filho.

Assim, o autor dá-nos uma perspectiva muito interessante da evolução de uma relação de namorados/noivos, para uma relação de recém casados, as dificuldades sentidas (ou não) de adaptação aos hábitos e comportamentos do outro, as inseguranças, os sonhos construídos a dois, etc...

Nicholas Sparks criou um enredo muito interessante, com algumas personagens munidas de uma grande densidade psicológica, o que faz com que sintamos desde logo uma empatia pelas mesmas, e consequentemente fiquemos presos á história.

Quanto há história é composta por vários "ingredientes": amor, traição, perdas, e um toque de magia...

Este livro faz-nos pensar até que ponto conhecemos realmente as pessoas que nos rodeiam, faz-nos pensar em como por vezes somos tão egoístas e só pensamos em nós, e faz-nos acreditar que o amor á primeira vista existe sim (adorei o titulo, achei-o muito adequado).

O único "se não" é o facto do desfecho final ser demasiado previsível.
Mesmo assim este é um romance muito agradável, que me proporcionou óptimos momentos de leitura, recomendo a todos os fãs de Nicholas Sparks e não só!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Estranhos desejos literários da A.

(Quinta de Ribafria, Sintra)

Anda-me mesmo mesmo a apetecer um tipo de leitura específico...

... com uma história com mistérios por desvendar, não mistérios tipo crime, mas mistérios tipo segredos guardados há muitos muitos anos..., com factos históricos verídicos, com casas antigas e abandonadas, casas com esconderijos, com passagens secretas, casas com magia, casas que guardam a alma e a essência de quem já por lá passou, casas com histórias enterradas nos seus soalhos... histórias de desencontros, de amores proibidos, de amores perdidos... perdidos talvez pelos familiares do/a protagonista que volta para desvendar o mistério!

Se o engenho me ajudasse era eu que escrevia esta história mas, as aptidões e a imaginação para a escrita já há muito que me estão adormecidas... por isso será que algum dos nossos atentos seguidores me saberá indicar um livro com uma história semelhante ou pelo menos com alguns destes contornos, para eu poder satisfazer este meu desejo literário?! :)

(Tenho um fascínio inexplicável por casas antigas, caso ainda não tenham percebido!=D)

domingo, 6 de junho de 2010

Novas aquisições da A.

Estas são as novas maravilhas que fui adquirindo enquanto estive ausente aqui do cantinho...


A Luz de Um Novo Dia de Torey Hayden
Irresistível Tentação
de Jill Mansell - que já estou a ler há algum tempo devido a falta de tempo livre para a leitura... :(

Guia de Sobrevivência para Belas e Modernas de Cristina Azevedo
O Beijo dos Elfos de Aprilyne Pike
Está Tudo na Cabeça de Alastair Campbell - que quis a sorte que eu ganhasse em passatempos! :)

O Amor está no Ar de Dorothy Koomson - uma oferta da B. para mim! ;)

Se eu Ficar de Gayle Forman
A Rapariga que Roubava Livros de Markus Zusak - ao aproveitar as belas promoções da Presença para comprar o livro de Markus Zusak que já constava da minha lista de desejos há algum tempo, aproveitei também para comprar uma novidade, o Se eu Ficar que me parece ser bastante interessante.

Refúgio de Nora Roberts
Amante de Sonho de Sherrilyn Kenyon - uma verdadeira viciada em livros muito dificilmente resiste a uma promoção leve 2 pague 1 não é assim?! :) E por isso lá vieram mais estes dois livrinhos para a colecção!

E é assim desta forma que a minha pilha de livros por ler vai crescendo e crescendo sem parar... e eu sem conseguir dar conta do recado! :S

E vocês, têm feito muitas comprinhas literárias? Gostaram das minhas novas aquisições? Já leram alguns?

Beijinho e continuação de boas leituras! =)

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O Regresso da A.!!!



É verdade depois de uma ausência forçada aqui do blog devido à complicada vida de finalista e estagiária... voltei para me redimir deste tempo todo em que a sobrevivência do blog ficou entregue nas mãos da B.! Obrigada B. por não teres deixado "morrer" completamente o nosso cantinho! ;)

As leituras têm andado a um ritmo muito muito lento devido à falta de tempo e ao cansaço quando existe algum tempo lol, mas não estão paradas.

De momento estou a ler dois livros ao mesmo tempo, coisa que não é meu hábito fazer, mas uma vez que os estilos são completamente diferentes e eu não me conseguia decidir por um dos dois para ler primeiro lá teve que ser! E assim estou a ler duas das minhas "novas" aquisições: A Luz de Um Novo Dia de Torey Hayden e Irresistível Tentação de Jill Mansell.

Estou a gostar muito dos dois, a "minha" Torey como sempre continua fenomenal e a escrita de Jill Mansell é sem dúvida óptima para relaxar de um dia cansativo e esquecer tudo!

Tenho ainda por fazer, com grande atraso, a crítica ao último livro que li (A Promessa, que adianto já que foi para mim uma desilusão) mas tentarei fazê-la brevemente.

E também brevemente publicarei as maravilhas que fui adquirindo durante esta minha ausência.

Até lá, continuação de boas leituras! ;)